terça-feira, 4 de janeiro de 2011

Quando os satélites naturais se juntam aos artificiais

Acho que a fotografia diz tudo...

Vejam se conseguem encontrar a Estação Espacial Internacional (ISS). Cada vez que vejo uma imagem destas fico maravilhado com o que o Homem consegue realizar.

quinta-feira, 22 de abril de 2010

Spreading the Word, According to the Science Gospel.

No dia 4 de Março fui falar na Escola Superior de Gestão do Porto numa conferência intitulada Ignite, integrada na Ignite Global Week onde durante uma semana, um pouco por todo o mundo, se realizaram centenas de conferências com o formato Ignite.
Para quem ainda não conhece, o formato original das conferências Ignite é o seguinte:

20 slides
15 segundos entre cada slide

Ou seja, no total estaremos a ouvir palestras de cinco minutos. O lema deste tipo de conferências é "Enlighten us, but make it quick!".
Visto que fui convidado para ir falar com muito poucos dias de antecedência e ainda não conhecia o formato, cometi algumas gaffes e afastei-me um pouco do conceito original. No entanto acho que a ideia passou e embora tivesse nervoso por não ter treinado, fui muito bem recebido e no final tive um feedback bastante positivo.
Fiquem então com o vídeo da minha apresentação sobre comunicação em ciência e um resumo do que poderão ver nos cinco minutos seguintes.

"Num mundo sempre em mudança onde a velocidade dos desenvolvimentos suplanta a nossa habilidade para compreender profundamente as suas implicações, o papel do investigador deverá ser também o de um comunicador. Embora haja um grande fosso entre a forma como a ciência é comunicada entre pares e a maneira como ela é transmitida pelos media ao público,é um fosso que merece ser encurtado. Visto que é muito complicado fornecer informação científica de qualidade ao público em geral, o nosso papel é tentar inspirar quem nos ouve de modo a que o ponto de auto-estudo seja atingido. Só assim conseguimos que a informação científica e todas as suas implicações seja verdadeiramente transmitida."

quarta-feira, 14 de abril de 2010

Os Perigos da Negação do Método Científico

Michael Specter é um jornalista do New Yorker especializado em ciência. No seu novo livro, intitulado "Denialism: How Irrational Thinking Hinders Scientific Progress, Harms the Planet and Threatens Our Lives" ele fala-nos do modo como a sociedade actual abraça o culto da negação da ciência, a desconfiança das instituições e da autoridade, e defende o apoio aos movimentos que se auto intitulam de alternativos.
Nesta palestra no TED2010 ele fala-nos de tudo o que o deixa acordado à noite e pergunta-nos porque é que temos medo dos avanços científicos em vez de rejubilarmos com eles.

"Denialism is a virus and viruses are contagious."
Michael Specter

quarta-feira, 31 de março de 2010

LHC Ligado! Ainda não há buracos negros! Por enquanto...

Ontem no LHC no Cern atingiu-se um novo recorde de energia em colisões de partículas. Os cientistas e engenheiros que trabalham no LHC conseguiram o feito de fazer colidir dois feixes de protões com energias de 3.5 TeV. Um TeV são 10^9 eV, ou seja, um bilião de eV (segundo o método americano corresponde a 1 trilião de eV). Visto que os feixes viajam em sentidos opostos, as colisões têm uma energia de 7 TeV, no referencial do centro de massa.
Embora o nosso planeta esteja continuamente a ser bombardeado por partículas com energias muitas ordens de grandeza superiores às conseguidas no acelerador do CERN, esta é a primeira vez em que se consegue atingir esta gama de energias de um modo controlado e de onde se conseguem tirar todo o tipo de conclusões sobre os fenómenos físicos que estariam presentes no início do universo (é suposto que quando o LHC estiver a correr na sua energia máxima, 14 TeV, a temperatura corresponda à existente apenas 1 bilionésimo de segundo após o Big Bang).Embora a experiência tenha corrido como esperado, à parte de alguns atrasos gerados por problemas na admissão de protões no feixe principal, novas descobertas são esperadas daqui a bastante tempo, visto que é necessário não só entender os resultados mas também excluir todas as possibilidades de erro.Este é sem dúvida uma altura em que devemos dar os parabéns à humanidade por conseguir juntar pessoas de todas as raças e credos (embora deva admitir que a maioria das pessoas envolvidas não terão nenhuma crença religiosa) e construir uma máquina que suplanta em complexidade em larga escala todos os feitos humanos até então.

A ciência está hoje de parabéns.

Ah, e até agora ainda nenhum buraco negro foi criado.

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Regenerando o Nosso Corpo

Na sequência do post anterior, mostramos agora um novo vídeo que mostra as potencialidades da produção de tecidos em laboratório. Imaginem a possibilidade de trocar de coração quando tivermos 80 anos por um outro que é essencialmente igual ao nosso mas novo? E quem diz coração pode também referir-se outros orgãos.
Talvez daqui a uns anos se consigam produzir cérebros em laboratório...só essa ideia levanta sérias questões filosóficas bem como éticas. Disfrutem do vídeo

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

Tem fome? Respire...

(Tradução de discurso publicado a 15 de Dezembro de 2009 no fórum TMC Weight Loss Virtual Speakers Bureau - nota: o fórum dedica-se ao tema "Alimentação", razão pela qual o discurso está orientado nesse sentido)

«Respire…

Antes de começar a ler, sente-se confortavelmente, inspire profundamente, coloque som no computador e desfrute este vídeo:



Efectivamente o mundo está a mudar… e rápido! Tão rápido que nos USA muitos dos jovens já nem usam e-mail – é demasiado “old fashioned”. Como se refere no vídeo, calcula-se que a informação técnica actualmente duplique a cada 2 anos. Estima-se que em 2015 ela duplicará a cada… 72 horas! Está mesmo tudo a acelerar. Até este vídeo já se encontra desactualizado (se procurar no youtube, já existe a versão 4.0).

Este e outros fenómenos (ex. novo “paradigma” das redes sociais, pressão cada vez maior para atingir objectivos organizacionais, medo espalhado constantemente pelos media, falta de tempo das pessoas para se dedicarem ao desenvolvimento pessoal, etc.) estão a levar as pessoas cada vez mais a sentirem que estão a perder o controlo, sendo que muitas delas se refugiam na comida como uma forma de escape e de prazer momentâneo para uma fome que é tudo menos física.

Vários autores dividem o ser humano em 4 partes (física, mental, emocional e espiritual) e defendem que é necessário trabalhar todas para que possa existir uma verdadeira harmonia e bem-estar. Assim, trabalhar apenas o lado físico (ex. fazer uma dieta) para resolver um problema que é holístico, é o mesmo que arranjar apenas a chapa de um carro estampado e não arranjar o motor, as rodas, a direcção, etc...

Com a pressão do mundo exterior e a falta de tempo para trabalhar as 4 áreas que nos compõem, o que fazer então?

Antes de mais, fazer uma pausa para ver este vídeo e tentar acompanhar o ritmo:



É verdade, a respiração é efectivamente uma das únicas práticas que trabalha ao mesmo tempo a parte física, mental, emocional e espiritual de um indivíduo. Por alguma razão há trabalhos de milénios feitos só à volta dela.


Antes de continuar a ler, pare e verifique se está a respirar. Estou a falar a sério. Verifique mesmo. Está? Óptimo! E como está a sua respiração? Rápida, lenta, peitoral, abdominal…? Uma coisa pelo menos já conseguiu fazer: parar de pensar nem que fosse por um breve momento!



Ora vamos ver como a respiração nos pode ajudar nos vários níveis.

Nível Físico:
- Logo para começar, caso ainda não tenha reparado, se não respirar, morre, pois precisa de oxigénio para viver.

- O nosso sistema linfático é um dos principais responsáveis pela eliminação das toxinas do corpo. Ele tem, no entanto, um problema. Enquanto o sistema circulatório tem um motor para movimentar o sangue (i.e. o coração), o sistema linfático está dependente principalmente de 2 coisas para movimentar a linfa: a movimentação do corpo e… adivinhou! A respiração.

- A respiração é também uma das principais responsáveis pela renovação do nosso corpo. Somos um organismo cujas células são baseadas no átomo de carbono e se adquirimos o carbono através dos alimentos, libertamo-lo através… da respiração.


Nível Mental:
- O nosso cérebro, apesar de representar apenas 2% do nosso corpo, consome 25% da energia corporal. E para funcionar bem, para além da energia (dada pela glucose), precisa de oxigénio. E para ter oxigénio precisamos de… respirar!


Nível Emocional:
- Já reparou como respira quando está tranquilo? E como o faz quando está sobre stress? Sabia que a maioria das terapias mais eficazes para redução do stress (ex. MBSR – Mindfulness Based Stress Redution) passam por ensinar as pessoas a… respirar?

- E só a título de curiosidade, sabia que uma das principais causas dos ataques de pânico é… a má respiração?


Nível Espiritual:
- Verifique novamente se está a respirar. Já reparou que quando o fez se obrigou a parar de pensar e a focar a sua atenção no momento presente? Diz-se que uma das principais causas da infelicidade do ser humano é a incapacidade para viver no presente, pois a sua mente está constantemente ou no passado (a reviver coisas que já aconteceram), ou no futuro (a antecipar coisas que ainda não aconteceram). Há até vários teólogos que defendem que o actual “pecado” Cristão defendido pela Igreja nada tem a ver com as palavras de Jesus - é um lapso que se deve a um erro de tradução da palavra Grega “sin” que significa… “falhar a marca”, ou seja, o momento presente.

Há muitos milhares de anos que alguns dos nossos antepassados se aperceberam disso e desde então a respiração tem sido uma prática utilizada por diferentes correntes (ex. Budismo, Yoga, etc.) como um portal para o "divino".


Ou seja, a próxima vez que sentir fome… pare... e respire. Use a respiração para estar no presente. Olhe para dentro e veja de onde vem essa fome que o invade. “Olhe-a nos olhos” e sinta-a verdadeiramente. Como é que ela se manifesta? Como um impulso incontrolável, como um aperto no estômago, como um salivar? Verá que a maioria das vezes quando olha a fome no presente ela vai-se embora na próxima inspiração…


Antes de me despedir, gostava de partilhar um vídeo que considero inspirador, não pelo tema da respiração, mas pela vida no global:



Obrigado por ter lido este post até ao fim e por ser uma pessoa fantástica, pois só as pessoas fantásticas é que apostam no seu desenvolvimento pessoal!

Obrigado a todos e, por todas as razões… respirem!

Vasco Gaspar»